Lactose não é bom
Lactose e todos os malefícios a saúde e na dieta

Lactose faz mal? Lactose é Amigo ou Vilão na Dieta?

Hoje irei falar um pouco sobre o leite e seu macronutriente mais alergênico, a LACTOSE.
Em primeiro lugar, devemos entender o que é a lactose. Ela é o AÇÚCAR do leite, a união dos monossacarídeos (açúcares simples) glicose e a galactose, que resulta em um dissacarídeo que chamamos de lactose. Está presente em todas as versões, seja integral, semidesnatado ou desnatado, e é encontrada em leites (de vaca, de cabra, de humanos ou de outra origem animal).

A questão é: a lactose deve ou não ser consumida?

Vou explicar, resumidamente, os aspectos que envolvem a digestão desse açúcar em nosso organismo. Como qualquer tipo de composto, sejam macro ou micronutrientes, regulação de hormônios, precisamos de ENZIMAS, que são responsáveis por catalisar (quebrar estruturas que precisam ser absorvidas em sua forma mais simples). No caso da lactose existe uma enzima, a LACTASE, responsável por este papel e fica localizada na nossa flora intestinal pronta para a quebra do açúcar do leite.

Lactose não é bom
Lactose e todos os malefícios a saúde e na dieta

Ao pensarmos em leite lembramos do começo de nossas vidas, quando éramos bebês e precisávamos do leite materno para desenvolver nosso sistema imunológico e criar anticorpos posteriormente ao longo da vida. Pois bem, quando somos bebês possuímos nossa flora intestinal rica em enzimas lactase, que degradam com facilidade a lactose. Porém, com o passar dos anos vamos perdendo essa grande quantidade de enzimas e isso faz com que não percebamos que pequenas reações podem ou não ser causadas pelo excesso da lactose em nosso organismo.

É preciso observar que somos os ÚNICOS mamíferos que consomem leite ao longo de toda a vida. Não vemos, na natureza, animais adultos bebendo leite em suas mães e o leite não faz parte da dieta desses mamíferos.

Assim, podem ocorrer pequenas reações alérgicas, as vezes não percebidas, como: aumento da espessura do tecido epitelial, oleosidade no rosto, acne, diminuição da capacidade do sistema imunológico, fadiga e problemas digestivos crônicos entre outros.

Outro fator que devemos ter ciência é que, em geral, consumimos leite de vaca. Ocorre que a cadeia de aminoácidos desse leite foi feita para vitelos (bezerros, novilhos) em fase de crescimento. A nossa estrutura de DNA celular possui outro código muitas vezes não aceito por esse tipo de leite (nesse caso falamos de ALERGIA À PROTEÍNA do leite), outro ponto importante a ser abordado é a grande quantidade de fósforo contida nos leites de vaca, o fósforo compete com o sítio de ação do cálcio no osso (diminuindo sua bidisponibilidade).

É possível observar que não apenas pela lactose, mas em âmbito geral, o leite produz alto nível de intolerância em muitos casos. Além disso, os leites pasteurizados costumam utilizar misturas para aumentar o rendimento industrial e, por consequência, ocorre diminuição do valor nutricional.

Outra curiosidade é que indivíduos afrodescendentes costumam ter maior intolerância à lactose que os caucasianos. Há uma explicação histórica para tal fato: isto se deve ao pequeno consumo de leite e derivados lácteos entre os antecedentes africanos quando comparados aos europeus, que durante longo tempo tiveram alto consumo de leite e criaram uma flora intestinal mais rica na enzima lactase.

Nos dias atuais existem diversas opções que incluem os benefícios do leite (como cálcio e proteínas) e que já contém a enzima lactase no próprio produto. São os denominados LACFREE ou sem lactose.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: o único problema dos LACFREE é que NÃO PODEM SER AQUECIDOS DURANTE LONGO PERÍODO, pois o calor degrada a enzima lactase. Assim, seu uso culinário deve ser evitado a não ser em uma preparação fria.

Em minhas dietas não costumo elaborar cardápios que contenham leite em sua forma pura, apenas em casos isolados. Não condeno o leite, mas como nutricionista esportivo desencorajo o uso do leite diariamente.

Davor Pitrez – Nutricionista e Profissional de Ed. Física
Marcação de consultas no Rio de Janeiro: ➡ Davornutricao@gmail.com

Sobre Rodrigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *