Remédio para Emagrecer Rápido – Quais os Melhores?

Remédio para Emagrecer Rápido – Quais São os Melhores?

Remédio para Emagrecer e perder peso são determinados uma maneira simples de emagrecer. No entanto, para que os mesmos possam ter eficácia realmente, é fundamental a orientação do especialista. Já que os remédios podem gerar efeitos graves, e demandam ser ingeridos com bastante cautela.

Na seqüência são apresentadas mais informações acerca dos medicamentos para emagrecer, os mais populares, como é a ação deles, para quem são recomendados, e se geram efeitos colaterais. E, também são apontadas alternativas naturais, e ainda alimentos funcionais para substituição destes medicamentos se assim for apropriado.

Remédio para Emagrecer - Quais são os melhores

1 – Zyban (Bupropiona) – Remédio para Emagrecer

Trata-se de um antidepressivo mais recomendado à perda de peso em comparação com sertralina e fluoxetina, por auxiliar na diminuição da compulsão. E age de modo semelhante nas situações de fumantes que desejam abandonar este vício.

E tem maior indicação no caso de o paciente mostrar determinado quadro psiquiátrico, sendo exemplo a compulsão alimentar ou depressão, e somente quando as atividades físicas e dieta apenas não resultam eficientes à perda de peso.

O remédio pode ocasionar boca seca, insônia, cefaléia, e nas situações de maior gravidade, taquicardia, convulsões, urticária, hipertensão, manchas pela pele. Por exata razão, este remédio deve ter ingestão com orientação médica.

2 – Sibutramina – Remédio para Emagrecer

sibutramina funciona, emagrece mesmo

A sibutramina emagrece e se mostra um dos remédios mais populares e utilizados para perder peso. A mesma age a mexer em certos neurotransmissores, sendo exemplo a noradrenalina, serotonina, dopamina, e assim, diminuindo o apetite. Atualmente, este remédio é um dos que podem ser comercializados no país, mas com prescrição do médico.

É percebida uma das vantagens de sibutramina na ação dela de diminuição de apetite e ainda de aumento do gasto de calorias. O recomendado é que a mesma seja direcionada aos pacientes de IMC superior a 30, no caso de a instrução da alteração dos exercícios e dieta não apresentar efeitos na perda de peso.

A sibutramina tem contraindicação à pessoa que sofre de diabetes, hipertensão ou risco maior às enfermidades cardiovasculares. E pode ocasionar efeitos colaterais, sendo exemplo:
– Constipação
– Insônia
– Boca seca
– Dor de cabeça
As mudanças em relação ao humor ainda são muito comuns e é dever relatar isso ao médico.

3 – Zoloft (Sertralina) – Remédio para Emagrecer

Trata-se também de um remédio antidepressivo e a ação se mostra parecida com a da fluoxetina. Mas, tal medicamento se caracteriza ainda de menor uso ao emagrecimento, já que pode gerar compulsão por alimentos em quantidades altas.

A sua utilização de coadjuvante no emagrecimento deve ser restrita aos indivíduos que sofrem da obesidade associada com depressão, ou para casos de obesidade ligados à condição médica denominada de Transtorno de Ansiedade Generalizada.

Em relação aos efeitos colaterais, as reações adversas mais gerais se resumem:
– Sonolência
– Tontura
– Insônia
– Diarréia
– Naúsea
– Dor de cabeça
– Boca seca
– Fadiga
– Distúrbios de ejaculação

4 – Orlistat (Xenical) – Remédio para Emagrecer

Remédio para Emagrecer Orlistat

Este remédio não age sobre a saciedade, fome ou mais mecanismos do metabolismo. E geralmente faz interferência em absorver gordura, a inibir 30% dela de ter assimilação pelo organismo, que é dispensada na quantidade maior em fezes. Devido a isso, é mais utilizado de coadjuvante, junto com mais tipos de medicamentos para perder peso.

O orlistat emagrece e se mostra remédio bom aos indivíduos que têm dieta rica na gordura, e enfrentam dificuldade para cortar a gordura da ingestão. Sobre os efeitos colaterais, na ocasião de a pessoa consumir bastante gordura ingerindo este remédio, a mesma pode ter diarréia, por causa da quantidade da gordura nas próprias fezes, podendo gerar desconforto.

5 – Daforin (Fluoxetina)

A fluoxetina é medicamento para tratamento de ansiedade, que pode ter uso em certos tratamentos para perder peso. Em tal contexto, atua a controlar ansiedade para diminuir a compulsão por alimentos.

O uso de coadjuvante em emagrecimento deve ter restrição para indivíduos que têm obesidade ligada com depressão, ou nas situações da obesidade com relação à condição médica denominada Transtorno de Ansiedade Generalizada. Desta forma, o paciente deve apresentar IMC superior ou equivalente a 30, e ser diagnosticado com depressão, ou Transtorno de Ansiedade Generalizado pelo psiquiatra.

Sobre efeitos colaterais, pode ser causado pela fluoxetina:
– Cansaço
– Diarréia
– Insônia
– Náusea
– Dor de cabeça

E, os estudos indicam que depois de 6 meses da utilização, o emagrecimento modesto obtido de modo inicial com fluoxetina, vagarosamente segue se perdendo.

Quando tomar Remédio para Emagrecer e Perder Peso?

Os medicamentos para perder peso nunca devem se caracterizar opção inicial à perda de peso. O recomendado é que inicialmente o paciente tente alterar os hábitos, sendo exemplo a própria alimentação e nível de exercício físico feito no cotidiano.

Se tais medidas não forem eficientes, então os remédios podem e devem ser recomendados, porém, deve-se olhar para o perfil particular de cada paciente.

A recomendação é que os indivíduos com IMC superior a 30, ou aqueles com IMC superior a 27 e enfermidades metabólicas, recebam avaliação à utilização dos remédios nestas situações. Somente em tais casos os efeitos colaterais em relação aos remédios não superam possíveis benefícios.

3 Principais Grupos de Medicamentos para Perder Peso

Há 3 grupos principais de medicamentos para perder peso, os sacietógenos, anorexígenos, e inibidores de absorção das gorduras. Os remédios anorexígenos são responsáveis por inibir o apetite, e apresentam na composição as substâncias populares de anfetaminas. O femproporex, anfepramona e manzidol são exemplos.

Na atualidade, os especialistas usam tal classe somente na ocasião de as 2 outras não atingirem sucesso, pois a mesma apresenta mais riscos em relação aos efeitos colaterais.

O grupo dos sacietógenos faz reunião dos remédios que atuam em estimular a saciedade, portanto, a pessoa sente a forme, porém, com inferior porção de alimento se mostra satisfeita, a parar de consumir antes. A sibutramina se caracteriza a mais popular do grupo, e que pode apresentar secundária ação à perda de peso, maior gasto energético.

O grupo de inibidores da absorção da gordura é indicado somente por Cetilistate e Orlistat. Não faz restrição de apetite, já que não agem sobre o cérebro ou sistema nervoso. E agem em inibir absorção intestinal de aproximadamente 30% da gordura consumida.

Através do controle bom do consumo das gorduras, podem ser auxílio significativo, no entanto, ao consumir demais, a tendência é não emagrecer, já que os 30% das gorduras que não são absorvidas podem não se mostrar deficiência de calorias suficiente ao emagrecimento.

Dependência Causada por Utilização Prolongada

Mesmo que seja baixo o grau da dependência, apresentam nível um na escala que segue até quatro, os remédios para perder peso podem gerar a dependência psicológica e física se forem utilizados por fase bastante longa, sendo superior a 4 meses sem avaliações novas.

Como estes remédios apenas devem ser ingeridos no último caso, e mesmo assim de apoio para programa de reeducação alimentar e exercícios físicos praticados, após o paciente não estar mais em situação de obesidade, a utilização dos medicamentos deve sofrer interrupção.

Com decorrer do tempo, em especial falando de anfetaminas, o corpo pode desenvolver a tolerância, portanto, precisar de maior dosagem para que o efeito se mostre o mesmo. Bem provavelmente a pessoa que se torna dependente química das anfetaminas, aguarda uma maneira fácil de emagrecer, sem se comprometer com atividades físicas e reeducação alimentar, e isso dificulta sustentar o peso que perdeu.

Freqüência do Uso de Medicamentos para Controlar o Peso

Na realidade, os remédios devem ser utilizados por curto período, o médico fará uma avaliação mensal nova se o medicamento permanece necessário, para não gerar qualquer grau da dependência.

O remédio para emagrecer deve integrar o tratamento de perda de peso, e não para manter o peso baixo. A manutenção da boa forma deve ser realizada partindo da alimentação balanceada e praticando atividades físicas. Do contrário, a probabilidade de recuperação do peso mais uma vez é grande. Trata-se do popular efeito sanfona.

A pessoa que emagrece através do auxílio dos remédios, estes que atuam sobre o sistema nervoso central realmente tem recuperação total da gordura perdida se não houver preocupação em relação à prática do exercício físico e alimentação, depois do final do tratamento.

Remédios Caseiros para Perder Peso São Eficazes?

Entre os medicamentos caseiros para perder peso se destacam itens como água com gengibre, e chá diurético.
– Água com Gengibre
Permitir o gengibre a liberar o próprio líquido em água pode auxiliar na perda de peso, por causa do efeito termogênico. No entanto, apenas vai funcionar se associado com dieta menos calórica e balanceada.

– Chá Diurético
As bebidas apresentando tal propriedade somente diminuem a retenção do líquido corporal, o que auxilia a diminuir poucos quilos ao pesar-se. Mas, os chás diuréticos com mais propriedades para perder peso, sendo exemplo o chá de hibisco, podem contribuir, mas devem também ser aliados da dieta saudável.

Medicamentos Naturais para Perder Peso

Há algumas formas naturais para perder peso.
– Cápsulas de Goji Berry
Alguns estudos indicam que goji berry ingerida no suco pode auxiliar na perda de peso, pois os indivíduos com ingestão baixa da vitamina C podem ter maior resistência para perder massa gorda. Porém, necessita ser aliada da alimentação balanceada.

– Quitosana
Tal substância tem extração de exoesqueleto dos crustáceos ou insetos e atua como uma fibra, gerando a sensação da saciedade. E os estudos realizados nos animais apontaram que a quitosana pode fazer interferência em digerir e absorver gorduras por trato intestinal, contribuindo para excreção dessas gorduras em fezes animais. Porém, não existem estudos que indiquem os benefícios diretos na perda de peso para humanos.

– Faseolamina
Esta substância encontrada em feijão branco cru diminui absorção em relação aos carboidratos, sendo parceira da perda de peso. Porém, tal alimento cru deve ser ingerido com tamanha moderação, já que pode ser nocivo para saúde.

– Konjac
Esta raiz é ainda popular pelas propriedades de emagrecimento, porém, há poucas evidências da própria ação nas pessoas.

Sobre Rodrigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *